LUNA E SILVA DESCARTA INTERFERÊNCIA EM PREÇOS NA PETROBRAS

General Joaquim Silva e Luna descarta interferência em preços na Petrobras e fala em buscar equilíbrio.

Uma alta de 15% nos preços do diesel da Petrobras nesta semana, que resultou em críticas de Bolsonaro ao atual CEO da empresa, Roberto Castello Branco, acabou disparando a indicação de Luna na sexta-feira e acentuando temores de interferência do governo na empresa.

Moderado e com fama de bom gestor, o general Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o comando da Petrobras, disse que está pronto para a "missão" e que é preciso equilíbrio nas discussões sobre preços de combustíveis.

Em entrevista à Reuters, Luna minimizou essas preocupações, ressaltando que pretende focar na geração de resultados com o apoio da diretoria executiva. Ao ser convidado para o cargo na sexta-feira pelo presidente, ele disse que está pronto para "nova missão e para o combate", revelou.

"Serei um gestor e não um general. Não será uma intervenção... mas sem deixar a experiência que reuni na gestão das três Forças como ministro da Defesa e na gestão de Itaipu", disse Luna, por telefone, neste sábado.

"Meu perfil é entregar resultados", adicionou ele, que atuou no Ministério da Defesa no governo Michel Temer e ocupa desde 2019 o cargo de diretor-geral brasileiro da binacional Itaipu. Luna evitou polemizar sobre a política de preços da companhia que gerou incômodo ao presidente Bolsonaro. Ele destacou que a estatal tem uma diretoria executiva para analisar todas as variáveis que envolvem a formação das cotações.

Mais Notícias no Hot Money